O SJ Corneta dessa semana, execpcionalmente, está sendo publicado na terça-feira.

Neymar tomou uma das poucas decisões certas na sua carreira. Foi intimidar e bater num racista. Não me venham com essa de ‘benefício da dúvida’ para um sujeito como Álvaro González, fracassado, cintura-dura e falastrão. Não importa se o jogador do PSG foi omisso sobre o assunto, no passado, muito embora essa não pareça ser uma percepção correta do que o ex-jogador do Santos tenha feito sobre o tema. De toda forma, o importante é sempre jogar luz no assunto e chegar de voadora nesse tipo de criatura.

Até Leonardo, o da cotovelada, o menininho bonito que brasileiro adora adular, que fala vários idiomas, mas sempre se manteve calado sobre esse tipo de assunto, ficou do lado do Neymar. Estamos com você, Adulto Ney!

Bem, quem também lançou mão da violência para intimidar foi a direção do Corinthians, que cansada de ver Michel Macedo, Cantillo, Bruno Méndez e grande elenco insultarem a bola, armou uma arapuca para Cássio e Jô no aeroporto. Essa trama da Gaviôes da Fiel no aeroporto de Guarulhos derruba algumas falácias, a saber: A primeira é aquela que o corintiano gosta de sofrimento. Não gosta. Como todo mundo que assiste futebol, o torcedor alvinegro gosta de vencer. Pode ser até com sofrimento, mas tem que vencer. Do contrário não estariam preocupados em ver o time judiando da bola e ameaçado de rebaixamento. A segunda é que o torcedor do Timão conhece bem os jogadores.

Se foram intimadar CÁSSIO e JÔ no aeroporto, é sinal de que não sabem se Michel Macedo trabalha como preparador físico, se Ramiro é roupeiro e Luan…bom, o Luan ninguém mesmo sabe o que faz ali.

Se as torcidas organizadas estiveram no foco no dia de ontem, pelo lado ruim, a atuação delas é que se deve a acertada não contratação de Thiago Neves por parte do Galo. Em clara atitude de mau-caratismo, como fez ao escalar Willy Caballero, um abraçador de gols, como titular na Copa de 2018, o estratega Jorge Sampaoli, o da bike, resolveu trazer o meia, que joga de terno (parece que desencarnou há 2 semanas), para o Atlético Mineiro.

Oras, se não bastasse a não escalação de Bueno e Léo Sena, que vieram a peso de ouro para Belo Horizonte, agora Sampa tenta emplacar um cara que não gosta de jogar futebol há anos. Menos mal que os “bandidos em forma de torcedor” agiram e impediram esse crime. Se dependesse do torcedor comum, muito tuitaço, xingamento no insta, mas nada concreto.

Por fim, temos a volta da Libertadores, que agora terá jogos exibidos pelo SBT, CNN e um canal fechado da CONMEBOL, onde o torcedor desembolsará R$40 para ver comentaristas falando que tudo é catimba, violência e que os times brasileiros tem de sair da competição continental. Como se já não fosse ruim ver o Lédio Carmona falando isso, com sono, agora teremos novos nomes para falar das teorias da conspiração ridículas que pairam na cabeça do brasileiro em relação à Liberta.

Menos mal que Caio Coppolla, Leandro Karnal, José Nêumane Pinto e Sílvia Poppovic ficaram de fora do time de comentaristas dos canais citados.