Chegou a hora das nossas Dicas Cartola FC 2020 para a 17ª rodada do Brasileirão. No formato CARTOLAMENTÁVEL, passamos a visão da escalação do Clube Atlético MILF, o MILFÃO, que tem dado poucas alegrias aos investidores, associados e torcedores, mas certamente muita diversão.

A 15ª RODADA

NOJO!

Depois de uma fase boa, o esplendor, o MILFÃO beijou a lona. Beijou feio. A torcida protesta com razão na porta do CT do time. Oras, com 20 pontos, três jogadores negativando, um bando de chinelinho correndo, o Mr.Memes Marinho poupado e Tiagalhardo reserva, tem mais é que quebrar tudo memso.

Lamentável rodada para esquecer do MILF e agora esperamos juntar os cacos e reerguer esse time desgraçado, que vai a campo com -7 cartoletas em relação ao orçamento inicial. Triste.

O único jogador a merecer um comentário individualizado aqui é Bruno Méndez. Nem a mãe do uruguaio se lembraria de escalá-lo no Cartola. O MILF escalou. O Timão segurou o SG. O zagueiro foi expulso.

DESGRAÇA!

Escalando

Hora de escolher os jogadores para a rodada de final de semana. Sob protesto!

MILFÃO está desenhado num 3-4-3 e graças a perfomance pífia e patética, vai ter que gastar tudo e escalar uns perebas.

Goleiro: Muriel (Fluminense – C$6,51) – Escalação de hoje é pocas ideia, bem poquinhas.

Zagueiros: Kanu (Botafogo – C$5,26), Éder (Atlético Goianiense – C$4,74) e Leo Ortiz (RB Bragantino – C$7,46) – Três zagueiros MAHOMENOS para conomizar dinheiro.

Meias: Dodi (Fluminense – C$5,70), Nenê (Fluminense – C$11,87), Caio Alexandre (Botafogo – C$6,29) e Thiago Galhardo (Inter – C$19,40) – Esperando que o Flu faça o CRIME contra o Ceará, confiando nos 4 gols de Caio Alê no campeonato e na mística de Tiagalhardo.

Ataque: Matheus Babi (Botafogo – C$9,05), Claudinho (RB Bragantino – C$15,12) e Keno (Galo – C$13,02) – Babi ficou devendo quando o escalamos contra o Santos, mas agora tem o suculento Goiás pela frente. Claudinho pega um decadente Sport e vem de fazer um golaço. Keno merece mais uma chance.

Técnico: Odair Hellmann (Fluminense – C$9,51) – Que não viaje na maionese!

ONDE ESTIVER ESTAREI